ANÁLISE E DIAGNÓSTICO

|

ANALYSIS AND DIAGNOSIS

A etapa de Análise e Diagnóstico é baseada no dados obtidos na etapa de Construção de Base de Dados e tem como objetivos: i) Prospectar a situação do município frente aos aspectos que exercem influência sobre a adequação locacional de diferentes atividades, com ênfase aos usos comerciais/serviços, industrial e residencial. Entre estes aspectos incluem-se: condicionantes ambientais, provimento de infraestruturas adequadas, densidade demográfica, zoneamento de usos do solo, entre outros; ii) Quantificar e espacializar a oferta e carência atual de infraestrutura do município, considerando cenários de crescimento demográfico e econômico; iii) Considerar demandas de infraestrutura e caracterizar o seu provimento a partir de programas, políticas e fundos governamentais e parcerias público-privadas visando a solução de carências específicas; e iv) Avaliar as condições institucionais e administrativas do governo municipal para desenvolvimento das atividades de planejamento e gestão de infraestrutura.

A etapa de Análise e Diagnóstico se divide nas subetapas de Leitura Técnica e Comunitária, as quais são detalhadas abaixo.

The Diagnosis of the analyzed City is based on the data obtained in the previous phase (Database Construction) and has the following objectives: i) Prospect the situation of the municipality in relation to the aspects that exert influence on the suitability of different activities - such as environmental constraints, provision of adequate urban infrastructure, demographic density, land use zoning, among others - with emphasis in the commercial, industrial and residential uses; ii) Quantify and spatialize the current supply of infrastructure of the municipality, considering scenarios of demographic and economic growth; iii) Consider infrastructural demands and characterize the provision of infrastructures from programs, policies and government funds and public-private partnerships aimed at solving specific needs; and iv) Evaluate the institutional and administrative conditions of the municipal government for the development of infrastructure planning and management activities.

The diagnosis is divided into Technical and Community Reading, each presenting the elements detailed below.

LEITURA TÉCNICA

|

TECHNICAL ANALYSIS

A Leitura Técnica envolve a análise judiciosa de dados sobre o comportamento da sociedade e do ambiente natural e das interpretações sobre as recíprocas influências entre ambiente e o meio antrópico. Em sua primeira etapa, a Leitura Técnica deve ser alimentada por visitas de campo ao território do município e da região e pela coleta e análise de dados iconográficos e estatísticos originados em fontes diretas e indiretas de informação, realizada na etapa de Construção da Base de Dados. A segunda etapa da Leitura Técnica é caracterizada pela interpretação destas prioridades e estratégias através de diretrizes de desenvolvimento territorial a serem incorporadas na nova Lei do Plano Diretor.

The Technical Analysis involves the judicious analysis of data on the behavior of society and the natural environment and the interpretations on the reciprocal influences between the natural and the anthropic environments. In its first stage, the Technical Analysis should be fed by visits to the territory of the municipality and by the collection and analysis of iconographic and statistical data carried out in the Database Construction step. The second stage of the Technical Reading is characterized by the interpretation of these priorities and strategies through territorial development guidelines to be incorporated in the new Law of the City Plan.

A análise demográfica tem como resultados a representação da distribuição espacial dos dados de demografia e a sua evolução histórica. A análise socioeconômica resulta na distribuição espacial e evolução histórica dos dados relacionados à Sociedade e à Economia.

 

 

 

As figuras abaixam ilustram análises demográficas e socioeconômicas elaboradas para o Plano Diretor de São Gabriel/RS:

O Mapa de Restrições Ambientais e Legais indica as áreas da sede municipal que devem receber restrições à ocupação por serem Áreas de Preservação Ambiental, Áreas de Risco Geológico/Ambiental ou Áreas de Domínio Público. Tal mapeamento, ao ser cruzado com dados de ocupação e uso do solo, permite a aferição de conflitos entre tais restrições ambientais e legais e a ocupação do solo, permitindo estimativa da quantidade de habitantes em áreas irregulares (utilizado para estimativa do déficit habitacional) e servindo de insumo para propostas de estratégias de Preservação do Patrimônio Ambiental e de Sustentabilidade e Infraestrutura, bem como para a elaboração de mapas de aptidão locacional.

 

 

 

Abaixo são apresentados os Mapas de Áreas de Preservação, Áreas de Risco, Restrições Legais e o Mapa geral de Restrições Ambientais e Legais elaborados para o Plano Diretor de Três Coroas/RS:

 

As figuras abaixo apresentam os mapas produzidos para as análises de Conflito de Ocupação e Uso do Solo do Plano Diretor de São Gabriel/RS:

A análise de Morfologia Urbana diferencia os elementos da cidade - lotes, edificações e vias - conforme suas características físicas e sua relação com o contexto onde estão inseridos. A análise de Padrões de Ocupação apresenta as características formais de lotes e edificações, permitindo a identificação de características específicas para posterior utilização como diretriz na elaboração de Mapas de Adequação. A aferição de índices de eficiência da forma urbana possibilita reflexões sobre a relação entre o crescimento urbano municipal e o custo para ampliação de sua rede de infraestrutura. As análises de articulação viária e sintaxe espacial partem do mapeamento da malha viária do município e indicam trechos com maior tendência de apresentarem maiores fluxos de pessoas e veículos, bem como obstáculos à circulação urbana, servindo posteriormente de insumo para elaboração de estratégias de circulação e transportes.

 

 

 

As imagens abaixo apresentam os elementos de representação gráfica da análise de morfologia urbana elaborada para o Plano Diretor de Três Coroas/RS:

A análise de provimento de infraestrutura indica o acesso de cada ponto da área urbana aos sistemas de infraestrutura e saneamento. Tal análise se baseia nos dados censitários de características dos domicílios, os quais são espacializados em mapas indicativos do percentual de abastecimento de cada setor censitário. Para cada um dos mapas resultantes é definido níveis de adequação à ocupação urbana em escala de valores entre 0 e 100 e é realizada análise através do Modelo Analítico Hierárquico para atribuição de pesos representativos da importância relativa de cada mapa para a adequação de um local à ocupação. Esses pesos são utilizados como ponderação para a álgebra de mapas que resultará em um Mapa Síntese geral de provimento de Infraestruturas para o município.

 

 

 

As figuras abaixo apresentam os mapas resultantes da análise de provimento de infraestrutura para o Plano Diretor de Três Coroas/RS:

As figuras abaixo apresentam os mapas resultantes da análise de provimento de infraestrutura para o Plano Local de Habitação de Interesse Social de Guaíba/RS:

A análise de Acessibilidade a Equipamentos e Serviços tem como produto Mapa Síntese que indica em escala quantitativa a facilidade de acesso a partir de cada ponto da área urbana a equipamentos de Comércio, Saúde, Educação, Lazer, Segurança e Cultura. Essa análise parte dos dados referentes à localização dos diferentes usos do solo e da definição de um raio de alcance para cada tipo de equipamento. O método de avaliação custo/distância é aplicado - a partir do cruzamento de dados de localização, raio de alcance e atrito à mobilidade - para representar espacialmente a acessibilidade a um ponto. O resulto da aplicação desse método para cada uso do solo é normalizado para escala de valores entre 0 e 100, originando mapas temáticos de acessibilidade. Aplica-se o Modelo Analítico Hierárquico para definição de pesos a cada componente desse conjunto de mapas, os quais são utilizados como ponderação na técnica de Álgebra de Mapas que resultará no Mapa Síntese de Acessibilidade a Empregos e Serviços. Este mapa servirá de insumo para as análises de aptidões locacional, servindo de indicação de áreas cuja urbanização é menos onerosa ao Poder Pública devido à existência de redes de infraestrutura.

 

 

 

As figuras abaixo ilustram os Mapas de Acessibilidade a Locais de Consumo, Empregos, Saúde e Educação e o Mapa Síntese de Acessibilidade a Equipamentos e Serviços elaborados para o Plano Diretor de São Gabriel/RS:

A partir de dados relativos à malha viária, aos sistemas de transporte e às conexões intermunicipais, realiza-se análise estimativa dos fluxos inter- e intramunicipais do município, a qual é baseada em análise de sintaxe espacial da malha viária municipal. Os resultados dessa análise fundamentam estratégias relacionadas à articulação viária do município e à circulação, mobilidade e transportes, servindo especialmente como material para revisão da Hierarquia Viária do município.

 

 

 

Os diagramas abaixo ilustram a análise de fluxos realizada para elaboração do Plano Diretor de Horizontina/RS:

Os mapas de aptidões locacionais são resultado da aplicação de análise multicritérios, a qual consiste em tentativa de combinar um conjunto de critérios (fatores e restrições) de modo a produzir um resultado composto final ilustrando a adequação de cada ponto da cidade para determinado tipo de ocupação, como, por exemplo, o uso industrial. Os critérios podem incluir proximidade de estradas, gradiente de declividade, exclusão de áreas de preservação, etc. Através da análise multicritérios os mapas representando esses critérios (distribuição espacial da adequação das áreas para cada critério) são combinado de forma a produzir um mapa resultante da adequação multicriterial. Se existem critérios mais importantes que outros, pode ser aplicada PAH (Modelo Analítico Hierárquia), técnica matemática que auxilia a definição de ponderação quando muitos fatores fazem parte da análise.
Os Mapas de Aptidão Locacional elaborados pelo NTU são compostos por Mapas Sínteses de Provimento de Infraestrutura, de Acessibilidade e Valor do Solo (eventualmente, mapas de Centralidade e Polarização são utilizados, como, por exemplo, para verificação da aptidão ao uso comercial). A álgebra de mapas resultante desses mapas é cruzada com Mapa de Restrições, no qual são representadas áreas inadequadas à ocupação devido a critérios ambientais e legais, bem como outras diretrizes que influenciam à adequação ao tipo de ocupação analisada (tamanho de lotes ou proximidade a usos do solo específicos ou determinados tipos de via, por exemplo). Os mapas finais de Aptidões Locacionais fundamentam a elaboração das Estratégias de Estruturação Territorial e Sustentabilidade/Infraestrutura (através de mapeamento de áreas mais propícias ao crescimento urbano), Desenvolvimento Econômico (indicação dos locais aptos a desenvolvimento comercial e industrial) e Desenvolvimento e Integração Social (através do mapeamento de áreas adequação à habitação social).
Uma descrição mais detalhada do processo de mapeamento de aptidões locacionais é apresentada no trabalho de Leão e Turkienicz (2009), no qual é descrita a elaboração de mapa de adequação para Habitação de Interesse Social durante o Plano Local de Habitação Social de Canela/RS.

 

 

 

As imagens abaixo ilustram os mapas síntese de Acessibilidade Geral, Valor do Solo, Infraestrutura e Restrições Ambientais e o Mapa de Aptidão para Zonas Especiais de Interesse Social (tanto considerando quanto não considerando as Restrições Ambientais) elaborados para o Plano Diretor de São Gabriel/RS:

A simulação de cenários urbanísticos antecipa os efeitos de alterações no Plano Regulador do município, avaliando cenários propostos através de análises de iluminação natural, sombreamento, percepção visual e potencial construtivo disponibilizadas pelo aporte computacional dado pelo software Cityzoom.
A análise é iniciada com a definição de tipologias de edificações a serem simuladas e a atribuição de quais dessas tipologias são mais adequadas a cada área da cidade. Elabora-se, então, critérios para escolha das tipologias a serem testadas conforme tamanho dos lotes e para identificação de lotes com edificações passíveis de substituição. Também são definidos parâmetros mínimos para viabilidade construtiva dos envelopes simulados (largura de laje e área mínima da planta, por exemplo). O resultado é a modelagem de diversos cenários urbanísticos e a análise do desempenho de cada um conforme modelos de iluminação natural, sombreamento, percepção visual e potencial construtivo. As características observadas nos cenários com desempenho mais eficiente podem ser utilizadas como base para proposta de revisão do Plano Regulador municipal.

 

 

 

As imagens abaixo ilustram partes do processo de simulação de cenários executado para o Plano Diretor de Três Coroas/RS:

 

As imagens abaixo ilustram a análise de visibilidade também realizada para o Plano Diretor de Três Coroas e que é descrita com maior profundidade na publicação de Vargas, Turkienicz, Miranda e Kussler (2016):

A estimativa do déficit habitacional existente utiliza dados socioeconômicos e de conflitos da ocupação do solo para obter a necessidade habitacional atual devido à deficiência de infraestrutura, adensamento ou ocupação irregular. Cruzando esta medida com análise de incremento populacional, obtem-se estimativa da demanda habitacional futura. Esta demanda pode ser correlacionada com o incremento habitacional esperado - obtido da análise de habitações construídos em anos anteriores e da análise do potencial habitacional associado a lotes vazios - resultando em estimativa de déficit habitacional por incremento habitacional. Essa estimativa é utilizada para fundamentar estratégias de ordenamento territorial (Perímetro Urbano e Plano Regulador) e de Desenvolvimento e Integração Social (localização de novas zonas habitacionais de interesse social).

 

 

 

As tabelas e diagramas apresentadas abaixo se referem às partes do processo de análise ilustrado no diagrama acima conforme executado para o Plano Local de Habitação de Interesse Social de Guaíba/RS:

LEITURA COMUNITÁRIA

|

COMMUNITY ANALYSIS

A Leitura Comunitária, diz respeito à participação da população na elaboração do Plano Diretor. A comunidade deve compreender e ter condições de avaliar e contribuir, com os dados e as informações geradas na Leitura Técnica. A legitimidade do processo participativo passa necessariamente, pela acessibilidade das comunidades envolvidas aos diferentes níveis de informação.

Na sua primeira etapa, a Leitura Comunitária diz respeito ao registro e interpretação das formas com que a comunidade expressa suas carências e anseios e discute diferentes caminhos para alcançar seus principais objetivos. A comunidade é ouvida através de entrevistas e reuniões comunitárias e envia sugestões aos responsáveis pelo processo de estruturação do Plano Diretor. Em sua segunda etapa, a Leitura Comunitária envolve a participação da comunidade na definição de prioridades e estratégias para alcançar seus objetivos e submissão das diretrizes estipuladas pela Leitura Técnica à comunidade em Audiência Pública, onde elas são discutidas e, eventualmente, alteradas ou complementadas constituindo a segunda etapa da Leitura Comunitária. O resultado deste processo é um texto contendo a Minuta da Lei do Plano Diretor, a ser submetido para aprovação da Câmara Municipal do Município após discussão, consensualização ou alteração de seus artigos.

The Community Analysis consists in the participation of the population in the making of the City Plan. The community must understand and be able to evaluate and contribute by discussing the data and information of the Technical Reading. The legitimacy of the participatory process necessarily passes through the accessibility of the communities involved to the different levels of information.

In its first stage, the Community Analysis is concerned with the recording and interpretation of the ways in which the community expresses its needs and desires and discusses different ways to reach its main objectives. The community is heard through interviews and community meetings and sends suggestions to those responsible for the process of structuring the Master Plan. In its second stage, Community Analysis involves community participation in the definition of priorities and strategies to achieve its objectives and validate the guidelines stipulated by the Technical Analysis. The result of this process is the text Draft of the Master Plan, to be submitted for approval by the City Council after discussion, consensualization or alteration of its articles.

ufrgs.ntu@gmail.com
(51) 3024-1691
Facebook | LinkedIn | Research Gate